História

Antigamente, na Idade Média, o álcool era considerado o principal antisséptico com poderes de desinfetar feridas e erupções. No mesmo período, monges também estavam à procura da cura de doenças por meio de ervas, plantas e raízes. Estudar ambas as pesquisas levaram os alquimistas Arnaldo de Vila nova e Raimundo Lúlio a misturar álcool açucarado a limão, rosa e flor de laranjeira para a produção de um remédio para todos os males.

Mas foi durante o surto da Peste Negra que os licores de bálsamos vegetais e tônicos se tornaram populares contra a disseminação da doença. Para baratear a sua fabricação, as pessoas começaram a usar rum barato e prometer a cura da doença que devastaria a Europa durante o século 14, dizimando entre 25 e 75 milhões de pessoas.

Foi somente no século 19 que a indústria de destilado se popularizou, propiciando o surgimento de diversas marcas no mercado. Os italianos foram responsáveis pela sofisticação da bebida e o acréscimo do creme de leite. Depois de visitar a Itália, a rainha Catarina Medicis se apaixonou pelo drink e o levou para a França, onde foi produzido com grãos de anis, canela e almíscar.

receita-licor-laranja
Fabricação:

Os licores são obtidos pela destilação e devem contar de 18% a 54% de álcool na sua composição e sua classificação deve ser em base ao seu teor de açúcar residual.

– Seco: de 60 a 100 g de sacarose/litro;
– Doce: de 100 a 200 g de sacarose/litro;
– Fino: de 200 a 350 g de sacarose/litro;
 Creme: mais que 350 g de sacarose/litro.