No post de hoje, falaremos sobre harmonização e degustação do whisky

DEGUSTAÇÃO E HARMONIZAÇÃO

Os whiskys produzidos atualmente têm um teor alcoólico bem alto e são mais difíceis de serem harmonizados, já que o seu sabor vai se sobrepor ao prato. Por isso, prefira os rótulos com 18 anos ou mais de envelhecimento, pois permitem que os sabores e aromas sejam apreciados sem pesar com o gosto do álcool. Para que o sabor fique ainda melhor, é interessante acrescentar água na bebida para agitar a composição e abrir seu bouquet (aromas e sabores).

Mas isso não significa que o whisky mais novo deva ficar fora da mesa! É possível preparar pratos deliciosos com o destilado, que combina em recitas com ervilha, arenque defumado, cavala apimentada, bacon, doce de maçã e crème brûlée. Aliás, um prato de sabor bem forte e marcante chamado haggis, feito com miúdos de carneiro, ganha um toque final com uma boa dose de whisky por cima.

Já os aromáticos combinam com pratos vigorosos, com pato, boi, alho-poró, uva passa, figo, gengibre ou canela. Single maltes mais jovens, com pratos leves, que levem salmão, truta, crustáceos, manjericão, coentro, alcachofra, erva-doce e amora. Para carnes defumadas, whiskies mais maltados e adocicados.