“VENHA DEPRESSA, ESTOU PROVANDO ESTRELAS!”

DON PERIGNON

Muitas pessoas tem dúvidas sobre as diferenças de champagne, espumante, prosecco, cavas e asti. Vamos esclarecer de um modo bem simples e prático, para que não tenhamos mais dúvidas sobre o assunto.

Champagne: Todo champagne é um espumante, mas nem todo espumante é um champagne, pois só podemos denominar champagne todo espumante que é produzido na região nordeste da França, e feito pelo método tradicional ou champenoise, sendo feito por duas fermentações. Num tanque se produz o vinho base, o mesmo é um vinho tranquilo, não contém gás carbônico, após esse processo é feito o engarrafamento e em seguida é adicionado o Liqueur de Tirage, uma mistura que contém vinho, açúcar e leveduras. Logo após é colocado uma tampa de metal na garrafa, para começar a segunda fermentação. As leveduras consomem o açúcar e o transformam em álcool e gás carbônico, ao término desse processo, as leveduras morrem e começa o amadurecimento do champagne. As leveduras em contato com o líquido estouram com o tempo liberando aromas e sabores. Para se fazer a remoção dos sedimentos é preciso fazer a degola, processo no qual se congela o gargalo da garrafa cheia de leveduras mortas, tira-se a tampa onde o próprio gás carbônico expulsa os sedimentos para fora. Depois temos a dosagem, o espumante recebe açúcar para balancear a acidez e definir seu teor de doçura, em seguida é inserida a rolha e colocado uma gaiola de metal para dar mais segurança, evitando que estoure.

Curiosidade: uma garrafa de champagne contém aproximadamente de 6 a 8 atmosfera de gás carbônico, sendo o equivalente a mais ou menos o dobro de pressão de um pneu de automóvel. Esse gás está diluído ao líquido, por isso, quando colocamos o champagne na taça com o aumento da temperatura o gás se libera onde podemos observar pequenas borbulhas chamada de perlage. Quanto melhor o champagne, a perlage é mais fina e consistente.

Informações úteis: Uvas utilizadas: Pinot Noir, Pinot Meunier, Chardonnay.
Os espumantes Blanc de Blancs, é feito somente de cepas brancas sendo apenas Chardonnay.
Os espumantes Blanc de Noir são feitos de cepas tintas, sendo Pinot Noir e Pinot Meunier. Os mais comuns são aqueles que se utilizam as três cepas.

Você sabia? Os espumantes Rosés são feitos com a mistura de vinhos brancos com vinhos tintos. O champagne geralmente não tem safras, pois são feitos de vinhos bases, produzidos no mesmo ano e corrigidos com safras de anos anteriores, ou seja, se no ano atual o vinho base teve uma acidez baixa, se corrige com vinhos produzidos de safras anteriores. Quando as uvas saem perfeitas onde não há necessidade de correção no vinho base, nascem as champagnes safradas, onde são produzidos com o mosto de uma única safra, a identificação é fácil, pois no rótulo virá escrito Vintage e o ano que foi produzido.

Estilos: Nature – não contém açúcar. Brut – contém aproximadamente 5 gramas de açúcar por litro. Demi Sec – contém aproximadamente de 10 a 15 gramas de açúcar por litro.

Prosecco: São produzidos na região do Veneto, sendo que os melhores vem da região demarcada de Prosecco que fica entre Valdobbiadene e Conegliano. A uva é chamada de Glera e faz espumantes pelo método charmat, criado por Eugenio Charmat. Esse método consiste em produzir as duas fermentações em tanque de aço inox. Primeiro se produz o vinho base, da mesma forma que citamos acima, fermentando em tanque de inox liberando o gáz carbônico, adicionamos o Liqueur de Tirage, só que em proporções bem maiores do que na garrafa, pois o tanque e inox comporta no mínimo 500 litros. Este processo é feito em temperatura controlada para manter o frescor e acidez do líquido, sem perder o gás carbônico produzido nessa segunda fermentação. Este método produz espumantes mais leves e mais frescos.

Cavas: As cavas são produzidas na região da Catalunha pelo mesmo método do champagne, ou seja, método tradicional. As uvas utilizadas são: Macabeo, Xarel-lo, Parellada. Tendo nas versões Brut com aproximadamente 5 gramas de açúcar por litro e Demi-Sec com aproximadamente de 10 a 15 gramas de açúcar por litro.

Asti: Produzidos da região do Piemonte, por uma única fermentação, onde o açúcar não é totalmente fermentado, deixando pouco álcool e muito açúcar. Contendo entre 6 e 7 graus alcóolicos e aproximadamente 50 e 80 gramas de açúcar por litro. Sendo assim, os espumantes feitos por este método costumam ser mais frescos e doces. Uva utilizada: Moscatel.

Por sommelier André Ribeiro e Folhetim