A produção de vinho não é uma ciência exata, pois o enólogo pode utilizar uvas que teoricamente produziriam um vinho leve para dar vida a uma bebida encorpada e pode até produzir um vinho branco a partir de uvas tintas, mas é possível ter noção de peso e corpo de um vinho baseado no tipo de uva utilizada no processo.

Confira abaixo uma lista das principais uvas utilizadas na fabricação:

6b87cf5aa4045cac9f52ba8d9002d034

  • Pinot noir = produz vinhos leves, frescos, sedosos e com aromas de frutas complexos. São ótimas para serem usadas pelos iniciantes de produção.
  • Merlot = produz vinhos frescos, encorpados e sedosos, predominando aromas frutados, às vezes com toques amadeirados pela passagem em barrica.
  • Tempranillo = produz vinhos jovens frescos, com boa acidez e frescor e vinhos reservas encorpados e bem amadeirados.
  • Montepulciano = produz vinhos muito leves, frescos, frutados e com boa acidez. Uma ótima escolha para quem inicia o processo de fabricação.
  • Primitivo = produz vinhos com um toque de doçura, leves e frescos, também ótimas para serem usadas por iniciantes.
  • Carménère = produz vinhos com um toque e doçura, com aromas vegetais. Também são indicadas para iniciantes no processo de fabricação.
  • Petit verdot = produz vinhos encorpados, fortes, suculentos, com aromas frutados e amadeirados.
  • Malbec = nos vinhos jovens, proporciona aroma frutado e frescor e nos reservas, dá um toque amadeirado e corpo. Já nos gran reservas, resulta em corpo e aroma de frutas.
  • Cabernet sauvignon = nos vinhos reservas, proporciona muita doçura, leveza e corpo redondo. Nos gran reservas, produz vinhos encorpados, mas quando aberto no tempo certo, a estrutura se transforma em uma seda, suave e envolvente. Por isso, é a uva mais consumida do mundo.

Bom, aqui temos uma noção de corpo, estrutura e sabor de algumas uvas. Agora é só adquirir alguns exemplares e fazer a experiência!

Salute!

Sommelier André Ribeiro.